domingo, 27 de junho de 2010

Apesar de Você…*

CENA VI – O TÁXI **

(Glória acena para um táxi. O táxi pára. Glória entra no táxi. O táxi segue viagem.).

GLÓRIA: Bairro Tal, por favor!
ERNESTO: Pois não! (Olha-a pelo retrovisor.). A senhora…
GLÓRIA: Hein?!
ERNESTO: Nada não.
GLÓRIA: Como assim?
ERNESTO: Uma balinha?
GLÓRIA (Após uma rápida hesitação.): Aceito.
ERNESTO: É das boas!
GLÓRIA: Quem?
ERNESTO: A balinha!
GLÓRIA: Ãham! (Silêncio.). Eh…
ERNESTO: Como?
GLÓRIA: Dá para cortar caminho?
ERNESTO: Ah, claro!
GLÓRIA (Indicando.): Por aqui.
ERNESTO: Essa rua…
GLÓRIA: Mudou, não é?
ERNESTO: Desanimou.
GLÓRIA: A cor… O verde…
ERNESTO: Desbotou.
GLÓRIA: É, um pouco.
ERNESTO: O tempo…
GLÓRIA: Voa, né?
ERNESTO: As festas…
GLÓRIA: Lembra?
ERNESTO: De penetra!
GLÓRIA: Você…
ERNESTO: Sim?
GLÓRIA: Hulk?
ERNESTO: Quê?!
GLÓRIA: Desculpa!
ERNESTO: Bobagem!
GLÓRIA: O senhor…
ERNESTO: Hein?!
GLÓRIA: Ernesto?
ERNESTO: Eu.
GLÓRIA: Sou Glória! (Pequena pausa.).
ERNESTO: Glória?!
GLÓRIA: Glória!
ERNESTO: Mentira, Glória!
GLÓRIA: Verdade, Ernesto!
ERNESTO: Glória.
GLÓRIA: Ernesto.
ERNESTO: Glória!
GLÓRIA: Eu…
ERNESTO/GLÓRIA: E você. (Riem.).
ERNESTO: Voltei. E você?
GLÓRIA: Indo.
ERNESTO: Muito bonita!
GLÓRIA (Ela sorri. Pausa.): E lá?
ERNESTO: Difícil.
GLÓRIA: Agüentou?
ERNESTO: Normal. Apesar de você…
GLÓRIA: Coincidência!…
ERNESTO: Você acha?
GLÓRIA: Acho!
ERNESTO: Eu não sei.
GLÓRIA: Claro, você não ficou!
ERNESTO: Me deixou triste!
GLÓRIA: Eu?
ERNESTO: Sim.
GLÓRIA: Por quê?
ERNESTO: Não foi nem…
GLÓRIA: Naquele dia…
ERNESTO: Nossa despedida!
GLÓRIA: Ia chorar.
ERNESTO: Por me ver?
GLÓRIA: Queria te segurar!
ERNESTO: Era só o que você queria…
GLÓRIA: Eu te amava.
ERNESTO: Mas não foi!
GLÓRIA: E você? Também não ficou…
ERNESTO: Eu fui… Te amando…
GLÓRIA: Eu fiquei te amando… Em xeque.
ERNESTO: Não era um jogo de xadrez.
GLÓRIA: Posso tentar…
ERNESTO: Nem me procurou.
GLÓRIA: Você também.
ERNESTO: É. Nós dois. E o pessoal?
GLÓRIA: Por aí.
ERNESTO: E você?
GLÓRIA: O que é que tem?
ERNESTO: Bem?
GLÓRIA: Bem. Ainda joga xadrez?
ERNESTO: Está quase chegando.
GLÓRIA: Quero um parceiro.
ERNESTO: Então vamos…
GLÓRIA: Casei… Com o Paulinho.
ERNESTO: Glória, com o Paulinho?!
GLÓRIA: Foi. (Silêncio.).
ERNESTO: É aqui? (Ela confirma com a cabeça. Ele pára o carro.).
GLÓRIA: Ainda preciso de…
ERNESTO: Você casou.
GLÓRIA: Um parceiro para jogar xadrez. (Olham-se. Ela pega sua carteira. Ele estende a mão, indicando que não precisa. Ela guarda a carteira e desce do carro. Ele também desce do táxi.). Esse táxi…
ERNESTO: É meu.
GLÓRIA: Então, talvez…
ERNESTO: É, quem sabe?
GLÓRIA: E você?
ERNESTO: O que é que tem?
GLÓRIA: Bem?
ERNESTO: Bem.
GLÓRIA: Então tá… Tchau! (Ele acena com a cabeça e parte.).


* 2003.  Escrito em parceria com A. Danyelli.
** Cena inspirada em texto de Alcione Araújo (“A Raiz”, em Cinco Movimentos a duas Vozes).

Um comentário:

Gabriel Pinto disse...

puta texto!


"a vida é a arte do encontro,
embora haja tanto desencontro pela vida" Vinícius de Moraes