domingo, 24 de julho de 2011

10.01.2001

Não selecione. Ou pense ou escreva.
E antes que a palavra perca a validade,
Diga-a,
Pois dela só restará saudade.
Vamos, não espere que elas brilhem.
Todas terão o mesmo azul da caneta
E não trarão mais prestígio do que você já tem.
E você não tem nenhum.
Diga sem pudor, talvez com amor.
Afinal nunca se sabe de onde virá o próximo beijo.
Nem se virá.
Não brigue por rima. Não há beleza maior
Do que desafinar o poema com um verso branco.
Branco gelo. Arranhado. Sofrido. Quebrado.
Vamos, não desista desse texto que só quer
Dizer pra você o que você não diz a ninguém.
E que ninguém te ouça.
Porque não era isso que você queria escrever.
Eu não disse?

Um comentário:

Parole disse...

Não brigue por rima. Não há beleza maior
Do que desafinar o poema com um verso branco.

Belíssimo, querido.Queria para mim esse verso branco...

Beijo