domingo, 28 de agosto de 2011

18.04.2011

Isso não fui eu quem escreveu.
É que para isso sou muito frio.
Isso não é meu, amor.
Que não consigo falar do fundo,
do escondido, do invisível.
É que sou muito frio.
Isso é de outro, amor.
Isso é de outro amor.

domingo, 21 de agosto de 2011

16.01.2011

Hoje não tem nenhuma palavra a ser dita. Nem rima. Nem nada. Hoje é dia de vazio. Dia de cansaço, de marasmo, embora sábado. Hoje é dia parado. Hoje fico devendo alegria desse papel. A caneta falhou, secou.

domingo, 14 de agosto de 2011

07.08.1999

Espaço não é desculpa. Desculpa! Um suspiro para uma palavra. Poderia acabar agora...









Mas quero ir até o fim da página.

23.02.2011

Tudo no lugar errado.
Tanto para organizar.
Nada o que fazer.
Falta amor.
Falta "você".
E eu jogando com palavras.
Segurando o choro.
Inventando graça.
Falta tudo.
Sobra "isso".
Não durarei muito.
Não farei falta.
Não causarei dor.
Não deixarei sorriso.

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

04.11.2010

Já é tarde, eu sei, e apesar do cansaço, me comprometo a acordar cedo amanhã, mais disposto do que hoje a fingir com mais convicção e a me enganar acreditando ter chegado a algum lugar que me faz feliz. Prometo olhar pra o dia de amanhã menos angustiado com as escolhas que me trouxeram até aqui e a me contentar em ser tão pouco...

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Versão 03.08.2011 de um dia em 1998

Eu leio versos na mente podre.