domingo, 29 de janeiro de 2012

Fora da estação*

Não há mais nada tão antigo que eu já não tenha dito.
Papel em branco, amarelo o sorriso.
Melhor esperar.
Talvez ler um livro.
Melhor calar, guardar esse grito.
Não sou árvore de palavras
e se fosse, essa definitivamente não seria a estação.
Invernou aqui dentro, embora verão.
Letras congeladas, espatifadas no jardim.
Melhor calar, guardar-me de mim.
Esgotou prosa, acabou poesia.
Melhor hibernar...
Talvez eu volte outro dia.

* 11, 22 e 29.01.2012.

9 comentários:

Parole disse...

Mesmo quando diz que não, tem sempre algo de bom e belo para dizer...

Vim me despedir de vc, querido.Vou excluir meu blog.Ando numa correria danada e tb muito cansada.Se um dia eu voltar, venho te procurar aqui.Tá bom!?! Foi um prazer conhecê-lo e obrigada pela companhia até aqui.

Um beijo

João Krustin Guimarães disse...

Ás vezes eu fico pensando em quando você vai postar as coisas que escreve hoje. Você ainda é um mistério para mim.

Abraço.

João Krustin Guimarães disse...

O que se esconde por trás das reticências...?

Autora escondida disse...

Adorei. Adoro suas visitas. Me fazem mais feliz :)
Bjos

Ana Agarriberri disse...

Que lindo, como sempre. Imensas saudades daqui. E será que não dá pra adiar as férias, agora que voltei? =)

Beejo,beejo.

João Krustin Guimarães disse...

Claro que continuamos. Eu gosto deles. Também gosto muito de você. Abraço, boas férias. E obrigado por tantas vezes ler minhas coisas, por mais grosseiras e idiotas que elas sejam. Abraço. E Feliz Natal pra você :)

Ana Agarriberri disse...

Aaaah fico feliz que as férias não se estendem às visitas ao Molhe-se. =)

Beejo.

Brilho da Lua disse...

ei...isso foi uma despedida? Vivo tendo esses momentos de hibernação.

Mariana das Neves disse...

Gostei daqui. :)
Há uns tempos me sinto assim.