quinta-feira, 31 de maio de 2012

27.01.2012

Jantar sozinho
nessa casa tão grande
nessa cozinha
temperada por você
é não saber por que comer

Jantar sozinho
nessa mesa vazia
perdido na cidade
forrada por lágrimas
é me alimentar de saudade

domingo, 27 de maio de 2012

05.08.2011

Lamento pelo fiasco do dia que te dei. Não me dei a oportunidade de desfrutar com prazer da sua companhia e isso me feriu... Lamento mesmo por ter priorizado minhas dores e não sua atenção. Espero ser mais inteligente e sensível amanhã, espero haver amanhã amanhã para poder olhar nos seus olhos... e receber mais humildemente o que você tem para dar, mesmo que seja apenas dor.

sexta-feira, 18 de maio de 2012

08.02.2012

Existe um tempo dentro de mim que não passa. Ou passa lento. Ele não se exibe, mas basta piscar numa lembrança e uma luz ilumina todas as cores desse tempo. E ele sorri pra mim. Eu passo e ele fica aqui guardado esperando outro piscar.

domingo, 13 de maio de 2012

29.07.2008

Eu queria escrever a coisa mais linda de se ler. Algo que se faz rir e chorar ao mesmo tempo, sem dar chance de se saber qual dos dois se faz primeiro. Eu queria dizer o que nunca disseram antes. Ou até o que já disseram, mas de um jeito como nunca pensaram. Eu queria desenhar o indizível com as palavras. Algo que tirasse o fôlego. Eu queria traduzir o sentimento mais íntimo com as palavras, pra ser lido e mesmo não compreendido, ser sentido inevitavelmente.

09.07.2011

Vou escrever uma coisa bem ruim. Algo totalmente desinteressante. Ninguém terá vontade de ler, senão por acidente. Somente quando jogadas por aí disfarçadas de poesia, minhas palavras talvez encontrem um leitor, desatenta figura, com propósito pior que esse meu, para passar a vista nessas orações vazias de sentido. Bobagem, talvez eu já tenha escrito.

domingo, 6 de maio de 2012

06-07.04.2012

Veja como a gente é feliz
no meio da mata
da cachoeira
na água fria
na correnteza de peixes
alegres
Veja como as cores
explodem
E o foco borra ao redor
só pra mostrar o que
há no centro desse
passeio - amor.

29.09.2011

Adjetivei meu nome próprio para me tornar teu.
E uma vez junto a ti, me qualifico verbo
só para te ter meu sujeito.