domingo, 13 de maio de 2012

29.07.2008

Eu queria escrever a coisa mais linda de se ler. Algo que se faz rir e chorar ao mesmo tempo, sem dar chance de se saber qual dos dois se faz primeiro. Eu queria dizer o que nunca disseram antes. Ou até o que já disseram, mas de um jeito como nunca pensaram. Eu queria desenhar o indizível com as palavras. Algo que tirasse o fôlego. Eu queria traduzir o sentimento mais íntimo com as palavras, pra ser lido e mesmo não compreendido, ser sentido inevitavelmente.

3 comentários:

Aryane Pinheiro disse...

Mas vc já faz isso com tanta maestria, que se torna impossível imaginar algo melhor, e mais tocante...

cheiros...rs
Aryane Pinheiro

Poeta de boteco disse...

e é nesse querer que se faz possível. é nessa alusão ao que não existe que o torna real.

um beijo, moço

Gracita disse...

Você tem o sublime dom de poetar. Suas palavras encantam e inspiram. Lindo!
Beijinhos no coração.
Gracita