quarta-feira, 27 de junho de 2012

Entre 2003 e 2005

fatos tortos
deixam marcas duras
num corpo farto
de dor
cartas tardias
lidas à revelia
demonstram atraso
de nostalgia.
meu amor foi mais
que papel
e mesmo assim,
você o rasgou!

sexta-feira, 22 de junho de 2012

29.07.2011

Não fui dormir,
mas também não me sentia
totalmente acordado.
Resisti ao colchão embora tentado.
Queria deitar, mas algo me impedia.
Não sei o que era. Apenas sentia
Que sofreria na manhã seguinte,
Ao ouvir o despertador gritando
por mais um dia.

domingo, 17 de junho de 2012

30.05.2012 e um leve ajuste de hoje

É tanto eu dentro de mim que não me reconheço. Me assombro com um pouco que me mostro. Me surpreendo com o que descubro de mim. Para o bem e para o mal. Diariamente me deparo comigo e não me acostumo. Mudo não sei se por medo ou por graça. Não sei se me escondo ou se me minto. Às vezes me omito de mim, sorrio para disfarçar, canto para não chorar, ando para não pensar, penso para onde vou e finjo que chego lá. Não é que não queira me encontrar, é que não sei parar de brincar de me esconder. Corro aqui dentro, me persigo, às vezes encosto em mim e me sinto aliviado, às vezes, quando me dou conta, estou do outro lado.

sábado, 16 de junho de 2012

quarta-feira, 13 de junho de 2012

17.01.2012

É tão tarde mas ainda há tempo
O sono chega tão lento
Que eu converso com o silêncio
A casa parada, nem sombra sai do lugar
Quero um anjo para ninar
Vem chegando a calma
Depois de tanto desperdício
Olhos fechando devagar
Que nem percebo assombração
Cortina descendo vagarosa
Deito leve entre bocejos
E abraço lento a escuridão

domingo, 10 de junho de 2012

31.08.2008

Começaria a enlouquecer agora que tudo estava resolvido.

05.05.2010

Um balde de juízo pra essa goteira de loucura, por favor.

segunda-feira, 4 de junho de 2012

26.04.2012

Apago toda palavra
Na tentativa de dizer
o que não sei exatamente
Entalado aqui entre
uma história não alimentada
e sua sequência póstuma
projetada.