domingo, 14 de outubro de 2012

16.06.2012

Calculo minha saudade
em litros
Meço nossa distância
aos gritos
Minha memória já não aguenta mais
os gigabytes das fotos digitais
Já não consigo guardar
as mensagens no celular

Pago passagem, reservo hotel
se quiser varamos a noite ao léu
Mas peço, gasta esses quilômetros
na minha direção,
que meu sangue já vai a 100ºC
de solidão.

4 comentários:

Gracita disse...

Bom dia!
Amei o poema.
Um ótimo domingo pra você. Aproveite para ficar juntinho de quem você ama. Meu carinho e meu afeto.
Beijinhos de algodão doce
Gracita

João disse...

Falta pouco para os seus animais, seus pais e seu imperador romano. Agora que tenho algum conhecimento sobre o Senhor, suas poesias me cativam muito mais. Porém, peno em dizer que sinto falta de todo o mistério que te envolvia. Mas prefiro que seja assim.

Outubro ou nada, não é mesmo?

Aryane Pinheiro disse...

É a primeira vez, que ouço por aqui versejos de um coração maroto... expondo travessuras de menino apaixonado!! Adorei...

Autora escondida disse...

Ahhhh... sinto isso na pele... e como dói...