domingo, 18 de novembro de 2012

18.11.2012

O que eu quero dizer, não será dito hoje. Ficará para quando todos esquecerem o que está acontecendo. Quanto até eu não lembrar mais - pouco provável - dos detalhes. O que direi será aleatório e desnecessário. Quero apenas ocupar esse espaço com quaisquer tolas palavras, para despistar os atentos olhos que tenho sobre mim nesse momento. Nada do que importa agora será revelado nessa hora. Como tudo aqui, que costuma vir em delay, o que tenho a dizer ficará calado até quando eu achar prudente. E no lugar, deixarei uma piada, uma canção, uma foto - do meu gato, quem sabe? - para que riam, cantem ou elogiem. Ou não digam nada, assim como eu.

Nenhum comentário: