domingo, 26 de maio de 2013

Versão 26.05.2013 de 24.12.2009

Tem coisa que não se entende.
Tem coisa que não se explica.
Tem coisa que nos confunde.
Tem coisa que nos ensina.
Tem cada coisa nessa vida!

quarta-feira, 22 de maio de 2013

22.09.2010 e 07.11.2012

É tudo muito urgente.
Tudo muda, gente.
Tudo muda a gente.
Tudo muda tão rápido.
Que a gente nem sente.

domingo, 19 de maio de 2013

20.05.2012

Eu não sei ir só, embora seja na solidão que me assumo. Eu nem sequer sei do que falo, pois não consigo discernir o que vejo entre o que é e o que aparenta.

16.06.2012

Não é porque não te entendo que você não sabe o que está falando. Mas se você não souber e mesmo assim eu te entender, há no que foi dito algo de coerente que em alguma instância conecta o nosso pensar.

quarta-feira, 15 de maio de 2013

06.04.2012

Eu não espero mágica, mas creio no mistério
Eu ando tão sério
Eu tropeço no ar, mas suspendo a queda
Eu ando tão depressa
Eu quase corro para não me verem passar
Eu só queria me esbarrar
em você.

domingo, 12 de maio de 2013

08.05.2013*

O sapato
apressado borrou
o piso
riscado de giz:
era um poema
rimado
de quinta
que só fez
sentido quando
o sapato
apressado dobrou
a esquina.


* Inspirado em Vanessa Carvalho.

19.04.2013

E o que tenho feito?
Gastando em verbo
todo o meu desejo
que não é possível
verter num beijo.

quarta-feira, 8 de maio de 2013

Pedaço de 21.01.2012

Nenhum gosto doce engana meu paladar

Versão 08.05.2013 de 11.10.2010

Quando quase sonhava, acordou. Seu sono que nunca fora tão pesado passou então a flutuar. Bateu a insônia anunciada com as palavras misturadas de Clarice, lidas um pouco antes de deitar - as mesmas palavras que o embalaram no seu leve sono, agora o roubavam como um pesadelo. Abriu os olhos. De repente o travesseiro fisgou seu pescoço, o colchão tencionou seus músculos e o lençol passou a lhe beliscar o corpo inteiro. Revirou-se inquieto e impaciente. Não resistiu. Saltou da cama, acendeu a luz e pôs-se a escrever com a letra corrida mesmo sobre o medo de não estar vivo, de estar enganado esse tempo todo sobre a vida que ganhou (de quem?). Não era sonho.

domingo, 5 de maio de 2013

05.05.2013

- Pai, quem foi Trois?!
- Quem meu filho?
- Trois, o cara que você e minha mãe querem homenagear com o rapaz que você tava falando no telefone ainda agora! Eu posso ir também?!

Versão 05.05.2013 de 18.11.2012

Talvez não fosse a hora de dizer aquilo,
mas quando vi, já havia dito.

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Trecho de 31.03.2013

E se estivermos todos errados?
Se todo esse avanço
não passar de ilusório atraso?