quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Série O dia de hoje, a hora de agora - 8/8*

Nesse instante
não consigo
dizer
a que meus hiatos
estão ligados;
revelam-se vagos,
apontando dispersos
para todo espaço
como extremidades
longínquas
de pontes
cobertas por
densa neblina.


* 28.08.2013, às 19:15.

Série O dia de hoje, a hora de agora - 7/8*

Ela não sabia bem,
não percebia
que alguém
lhe queria além
de tudo que
se tem.
Respondia então
toda demonstração
de carinho com desdém,
tanto que
mais ninguém
voltou
a lhe chamar
de meu bem.


* 28.08.2013, às 02:42.

domingo, 25 de agosto de 2013

Série O dia de hoje, a hora de agora - 6/8*

Obcequei-me pelo futuro.
Não aquele lá distante,
aquele que nos espera
imóvel e feliz.
Mas aquele que se constrói
aqui, nesse instante.
Aquele sempre ameaçado,
sempre por um triz.


* 25.08.2013, às 00:48.

domingo, 18 de agosto de 2013

Série O dia de hoje, a hora de agora - 5/8*

As verdades
são sempre
cuspidas
faltando
uma parte


* 18.08.2013, às 17:22.

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Série O dia de hoje, a hora de agora - 4/8*

Não há liberdade alguma em não se saber o fim das coisas.


* 14.08.2013, às 12:22.

domingo, 11 de agosto de 2013

Série O dia de hoje, a hora de agora - 3/8*

As pálpebras
pesando
sustentam-se
lentas e
fazem da noite
uma tormenta

* 11.08.2013, 02:01.

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

O que faltava de 13.10.2012

Desperdiço o tempo economizando intensidade de viver. Estendo os compromissos para condensar fúteis desejos. Adio o aprendizado, demoro a me organizar, deixo o tempo passar, escurecendo os azulejos e acumulando manchas nos tapetes.


(Triste sensação a de que pouco disso tudo mudou. Fiz-me refém da minha inabilidade de otimizar o tempo da minha existência e sempre que me lanço ao desafio de mudar a situação, flagro-me diante de novas manchas de improdutiva ociosidade) - 16.03.2014.

Série O dia de hoje, a hora de agora - 2/8*

Indecisão em primeiro lugar.
(...)
Faça, faça, faça, me digo.
Acabei de ler um poema tão
simples
(...)
Estou com tanta coisa em mim
que mal consigo dormir.
Zanzando entre o que aprendo e
o que sofro, na hora ou
por antecedência
(...)
Um rapaz esperou entardecer
para clicar sobre a luz
que incidia nas nuvens
e amarelá-las digitalmente.
Às vezes dava certo,
Às vezes ficava cego.
(...)
Terceirizei minha pessoa
na esperança de falar
menos de mim.
(...)
Ele tentou
dizer que...


* 07.08.2013, às 01:32.

domingo, 4 de agosto de 2013

Série O dia de hoje, a hora de agora - 1/8*

Estou ocupado com a dança no momento, por isso silencio. Também tenho saudades... Sabe, às vezes penso que separam as sílabas para mim. Às vezes tenho certeza que quando penso assim, é carência. Como não me sentir atingido? Como fingir não ser comigo? Mesmo quando não é, penso que seja e isso faz toda a diferença. Estou todo errado, sabe? Estou todo culpado, todo inviável, todo pela metade - ou menos que isso. Gostaria de te deixar uma frase de efeito, mas agora as ideias estão todas nos palcos, nas ruas, nos concursos públicos, nos congressos e no Mal. Quando elas voltarem, quando elas puderem, quando eu parar de culpá-las, te direi num colorido slow motion com selo full hd que muitas vezes junto as letras pensando em você.


* 04.08.2013, 04:02.