domingo, 29 de setembro de 2013

Versão 30.09.2013 de 16.08.2013

Foi surpreendido pela luz da manhã invadindo a casa, enquanto pelo fone ouvia a canção dizer "eu tô perdido, eu sei".

Versão 29.09.2013 de 31.10.2009

queria carinho.
queria atenção.
e apesar de sábado
recebeu um não.

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Versão 25.09.2013 de 26.05.2009

Sobre isso de gostar de quem não gosta da gente, pelo menos não do jeito que gostaríamos que gostassem. Sobre esse sentimento sem recíproca. Sobre essa agonia de não gostar igual. Sobre essa agonia de não ser o oposto, não ser repulsa, mas também não ser apego ou desejo. Sobre essa dor que atrapalha a respiração e o pensar. Sobre sentir falta, saudade, ciúme, raiva ou tristeza... Sobre alguém que olha outra pessoa à distância, sem saber como se aproximar sem ser atropelado pelo próprio desejo, sem se sabotar pelo medo. Sobre duas pessoas com olhares em pontos diferentes, desviados pela indiferença de uma delas. Sobre ser traído pelas palavras e até pelo silêncio. Sobre isso de não saber o que fazer para não piorar tudo e ainda querer avistar uma luz que transforme o que se sente e o que se faz. Sobre isso não faltam novelas, poemas e canções. Sobre isso não faltam livros e filmes, blogs e notícias de crimes. Sobre isso nunca aprendem nossos corações.

domingo, 22 de setembro de 2013

29.08.2012

Estão fechando o cerco
Estão fechando o circo

domingo, 15 de setembro de 2013

ponto de fuga*

Olhando o nada-mundo
encontra-se um "eu"
tão profundo, que
todo cuidado é
pouco, ainda mais
quando para tudo
nesse mundo-nada
exige-se troco.

Com palavras-pás
um "eu" tão profundo
cava covas rasas e
se enterra, esperando
perderem-no de vista.
E se não fosse um
"quase", quase
as pás não seriam
lidas.


* Projeto RR. Releitura de 16.04.2012 (ponto cego) em 13.09.2013.

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

07.11.2012 com pequeno enxerto de 11.09.2013

O sonho me disse isso, minha irmã. Que seremos nós a correr ao redor da casa sem encontrar a saída para a rua ou a porta aberta (para a sala). A casa está conservada, embora traga algumas paredes gastas pelo tempo. Também nos surpreendemos com os bichos de estimação, primeiro um gato manhoso e carente, depois um dos nossos cães já morto - teria ele voltado à vida, mais jovem e animado? Ou nós que nos juntamos a ele para assombrar o terraço e o quintal? Acordei com a sensação de que os próximos dias exigem cuidado.

domingo, 8 de setembro de 2013

12.11.2009

Evito frase feita
Escrevo cartas sem pensar
(...)
Mas desejo resposta
Aguardo retorno
Mesmo que seja um longo silêncio
E saberei que não há mais o que dizer

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Diálogo inconcluso de 06.11.2010

- O que é que foi?
- Você.
- O que é que tem?
- Nada.

domingo, 1 de setembro de 2013

25.08.2012 com pequeno acréscimo de 01.09.2013

Nunca mais a vi em sonhos, estará bem? Perto ou distante? Entendi que por hora só assim. Será que pensa em mim e chama meu nome? Depois de tudo sobraram-me os dias de saudades vertidos em noites cheias de esperança em revê-la, mesmo que de olhos fechados, mesmo que nem fumaça, mesmo breve e imagem vaga; meu sono trocado confunde tudo, não vejo o dia para arrastar a madrugada. Será que é por isso? Ou não há mais nada? Ainda duvido, questiono, não acredito. Tanto medo de tê-la perdido (definitivamente), não vence o desejo de vê-la (outra vez) acordada!