domingo, 2 de novembro de 2014

28.10.2014

Sim, há palavras que não são minhas e que adoraria que fossem. Adoraria dizê-las porque quando as ouço, embora não se ajustem à minha boca, se acomodam facinho na minha alma. Há palavras dos outros tão bem arranjadas que parecem de todos. Sei, sou apenas um, mas é que essas palavras, por não serem minhas, quando as ouço, me dizem que não estou tão só assim no mundo. Essas palavras que sinto como minhas mas ditas pelos outros, são minhas porque ecoam noutra forma que não em letras ou sílabas. São minhas porque, antes de serem gramática ou fonética, são sangue, suor, tremor, pulso, dor, lágrima, sorriso, enfim, todas essas coisas que não cansam de lembrar que ainda estamos vivos.

https://www.youtube.com/watch?v=VasLnEWnAxY


3 comentários:

Simone Lima disse...

Perfeito retrato do que acontece conosco. Tu dizes tudo isto, mas é exatamente o que também sinto!!

Beijoo'os

Simone Lima disse...

Vídeo lindo, bonito a forma de se falar da vida e do amor!! ;'(

João disse...

Que coisa mais genial. Porra, tô abismado.