domingo, 28 de dezembro de 2014

15.10.2012

Ponho o perigo na boca
e o engulo te olhando nos olhos
Vejo a alegria suada
das suas trêmulas
pernas cabeludas
Respiro ofegante
igualmente molhado
aguardando seu corpo
desabar sobre o meu.

2 comentários:

Gyzelle Góes disse...

Nossa, vi toda a imagem, vi toda a poesia aí.

Simone Lima disse...

Intensidade é teu forte.