quarta-feira, 8 de abril de 2015

08.04.2015

Escondo palavras dos seus tentáculos. Não é por mal ou por desconfiança. Um dia quem sabe eles sentirão isso aqui. Por hora, distraio-te com meus olhos e meus pés e minha boca e meu peito e meu corpo inteiro. É quase a mesma coisa, é tudo do mesmo lugar. E, principalmente, é tudo verdade, é tudo amor. Sua mutação não está comprometida pela ignorância do meu esconderijo. Quando estou nele não é mais do que quando estou contigo. É outra coisa, apenas diferente, dispensa comparação porque não se sustenta por concorrência. Seus textos sim, são mais interessantes do que aquilo que não te dou para ler.

Nenhum comentário: