domingo, 2 de outubro de 2016

10.05.2016 com sutil alteração de sentido em 02.10.2016

Ele pôs as roupas na máquina de lavar e depois chorou por não ter a menor noção do que de fato lhe afetava na vida. A água subia lentamente encharcando o jeans e os R$ 5,00 esquecidos no bolso. Seu desejo era dar o mergulho de mar tão adiado só para ver se de lá, banhado de sal e sol, sentiria uma pista da dor, da cor encardida que lhe rendia as lágrimas da ausência de afetos. Revolvia o que podia dentro de si, a máquina. Ele, de molho, não sabia como lidar com a sujeira acumulada, transbordando em seu cotidiano desprotegido de imprevistos.

Nenhum comentário: